Sem picos: Quarentena muda forma de ouvir podcasts e músicas nos serviços de streaming

Horários de mais audição deixam de ser durante começo da manhã e fim da tarde, com consumo agora ficando mais espalhado ao longo do dia. Spotify e Deezer explicam mudanças.



12/05/2020 09:23h


O distanciamento social, o home office e a pandemia da Covid-19 mudaram a forma que as pessoas usam as plataformas de streaming.

Para entender o novo perfil de quem ouve podcasts e música nesses serviços, o G1 foi atrás do Spotify e da Deezer. As conclusões são as seguintes:

  • Houve queda no começo da quarentena, mas a tendência é de estabilização;
     
  • Horários de pico não são mais na hora do rush (começo da manhã e fim da tarde), o consumo agora é mais espalhado ao longo do dia;
     
  • Audições de playlists de música infantil e música clássica cresceram;
     
  • Quando a live de um artista bomba, é claro que a busca por músicas dele cresce.
     
  • Marcos Swarowsky, diretor geral da Deezer no Brasil e América do Sul, explica que a maior "ocasião de consumo" sempre foi o deslocamento para o trabalho:

     

    "Nosso pico de usuários antes era sete da manhã e agora é entre nove e dez da manhã. Agora, o dia de maior consumo é o sábado, principalmente à tarde."

     

    A plataforma de streaming teve uma queda de 10% no número de streams na terceira semana de março, mas o número de usuários se manteve estável.

    No Spotify, a mudança de consumo foi parecida. Segundo a empresa, mais usuários têm ouvido conteúdo "em dispositivos como desktops de computadores, TVs, alto-falantes inteligentes e consoles de jogos". É algo natural. Quem pode está ficando em casa.

     

    Swarowsky conta que houve uma tentativa de repensar a parte de curadoria de playlists. "Antes, eram ouvidas mais playlists de gêneros. Agora, são mais playlists de 'moods', como as de calmaria, 'iniciando o dia', 'working from home'. Elas estouraram."

     

    Na Deezer, o estilo que mais caiu durante essas semanas de distanciamento social foi o punk. MPB e rap acústico foram dois dos gêneros com mais crescimento.

     

    As playlists com temas de culinária e serviços de casa foram as que mais bombaram no Spotify durante este período de isolamento.

    E isso é fruto de uma troca. Agora, todo mundo busca uma trilha para tarefas domésticas e familiares, em vez querer músicas para encontros com amigos.

    Podcasts de auto-conhecimento, bem-estar e meditação também tiveram aumento de audições nas duas plataformas de streaming, nas últimas semanas.

    Podcasts com notícias e explicações sobre o coronavírus, é claro, também estão com bom desempenho.

     



Enviar Mensagem

Voltar